Aeroportos ao vivo
 http://ceusdobrasil.blogspot.com.br/p/blog-page_12.html

NOTAM

SBPA, SBFL, SBCT, SBSP, SBGR,

SBKP, SBRJ, SBGL, SBCF, SBBR

 

 Atualizado em: 03 de junho de 2018

 



Notam Sul/Sudeste/Brasília


Ainda sobe o 737



Como é meu padrão, depois de informar a manchete, só volto a publicar a respeito de qualquer acidente, depois de informações mais apuradas.
Assim será com este de hoje, também.
Irei apurar o máximo de informação que puder conseguir e voltamos ao assunto, daí com uma abordagem técnica.
É isso! 

Acidente em Havana



A aeronave iria cumprir uma etapa de 737 Km, que duraria cerca de 48 a 50 minutos de voo, mas caiu a 30 Km do aeroporto, logo após a decolagem.
As primeiras imagens, mostram bem o tamanho da tragédia., às 12:08h local.




Acidente em Havana


A aeronave era um 737-200, que pertencia à Damojh Airlines, ou Global Air e estava no momento, sendo explorada pela Cubana de Aviación.
O número de pessoas a bordo, varia entre 104 e 113, a confirmar.As autoridades informaram há pouco, que existem vários mortos.
Só pra contextualizar, a Global Air é uma empresa, que se originou da Damojh Airlines e hoje vive de locar aeronaves por curtos períodos de temporada, para empresas regulares e não regulares, m praticamente toda América Latina. Sua frota é de dois B737-200 (um caiu hoje) e dois B737-500.
Além de locar suas aeronaves, ela também opera voos nacionais (México) e internacionais.

Acidente em Havana




Um Boeing-737 que cobria a rota Havana-Holguin sofreu um acidente hoje perto do Aeroporto Internacional José Martí, Havana, logo após a decolagem.

Segundo declarações à imprensa, Mercedes Vázquez, directora de Transporte Aéreo, o voo era da companhia mexicana Damojh.

As primeiras informações, são de que cerca de cem pessoas estavam a bordo.

Forças da Polícia Nacional Revolucionária e do Corpo de Bombeiros, bem como várias ambulâncias estão no local do acidente.


Continuo apurando.

Bruce Dickinson conhece o Legacy 500


(FOTO: DIVULGAÇÃO EMBRAER)

De passagem pelo Brasil para divulgar sua autobiografia, Bruce Dickinson, vocalista, líder do Iron Maiden, piloto comercial e empreendedor do setor aéreo e espacial, aproveitou uma folga neste domingo, para visitar a fábrica da Embraer em São José dos Campos. Foi conhecer o Legacy 500, novo jato executivo da empresa brasileira. Apaixonado por aviação, Bruce já havia estado na Embraer em outras ocasiões. Seu interesse por aeronaves ganhou ainda mais fama quando Bruce passou a pilotar o Ed Force One — um Boeing 747 adaptado para transportar o Iron Maiden e todos os equipamentos do show durante as turnês mundiais.

(FOTO: DIVULGAÇÃO EMBRAER)

A Embraer mandou fazer um adesivo da banda, que foi fixado no avião, para apresentação da aeronave ao potencial comprador.

(FOTO: DIVULGAÇÃO EMBRAER)